Equipe

       
Jésus Figueiredo
Diretor Musical

Jésus Figueiredo é bacharel em Regência Orquestral, em Órgão de Tubos e Mestre em Acústica Musical pela Escola de Música da UFRJ. Desde 1999 trabalha no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, onde é o Maestro Titular do Coro, além de atuar também com a Orquestra Sinfônica em Concertos, Óperas e Balés.

Já regeu diversas orquestras, entre elas estão a Sinfônica de Minas Gerais, a Sinfônica Brasileira, a Sinfônica Nacional da UFF, a Filarmônica do Ceará, a Acadêmica do Teatro Colón de Buenos Aires, a da Universidade Nacional de Cuyo (Argentina), a da Ópera de San Juan (Argentina), e a Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

É também o Maestro Principal do Coro Ópera Brasil que participou em 2012 da 1ª temporada lírica da Orquestra Sinfônica Brasileira Ópera e Repertório, e em 2014 do Concerto do Tenor Plácido Domingo na Arena HSBC no Rio de Janeiro.
Como preparador coral recebeu o prêmio da APCA em 1998 pela ópera O Colombo, de Carlos Gomes, e em 2016 pelas óperas Don Quixote, de Massenet, e Lo Schiavo de Carlos Gomes.

Com o Balé do Theatro Municipal, com a Escola do Teatro Bolshoi do Brasil, e a Cia Brasileira de Balé regeu títulos como Les Sylphides, O Quebra-Nozes (2007 e 2012), Coppélia (2008 e 2012), Don Quixote, Catulli Carmina (2015) e o espetáculo Joias do Ballet (2018). Além de ter preparado a Orquestra Sinfônica que acompanhou em 2011 e 2012 as temporadas cariocas respectivamente do Balé Kirov de São Petersburgo (Rússia), com O Lago dos Cisnes, e do Balé do Alla Scala de Milão (Itália), com Giselle. Em 2013, assumiu a direção musical da ACC e vem desenvolvendo um repertório da Música Colonial Brasileira à Música Contemporânea, passando também pela ópera.

Vídeos com Jésus Figueiredo:
Concerto de Fim de Ano - Associação de Canto Coral e OSJRJ - Theatro Municipal - 2019
Abertura em Ré - José Maurício Nunes Garcia - Orquestra de Câmara da ACC - Antiga Sé -2017
Salmo 100 - Felix Mendelssohn - Coros Sinfônico e de Câmara da ACC - Cidade das Artes 2019
Magnificat - Manoel Dias de Oliveira - Coro Sinfônico e Orquestra de Câmara da ACC-  Antiga Sé 2017
Gloria - Antonio Vivaldi - Coro de Câmara e OSJRJ - Cidade das Artes - 2019
Concerto de Homenagem à Cleofe Person de Mattos - José Maurício Nunes Garcia - Orquestra da UFRJ - 2013
Abertura da Ópera Fosca - Carlos Gomes  Orquestra Sinfônica Nacional da UFF - 2015


Pedro Olivero
Presidente da ACC e Diretor Geral do Núcleo de Ópera

Baixo, nascido na Paraíba. Formado em Jornalismo pela Facha (RJ) e Bacharel em Música (Canto) pelo Conserva-tório Brasileiro de Música (RJ). Estudou canto com Ciro Braga, com o barítono Fernando Teixeira, Patrícia Peres e, atualmente, com o mezzosoprano Gloria Queiroz. Primeiro lugar no concurso público para o Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em seu registro vocal. Cantou nos mais importantes teatros e salas de concertos do Brasil. No seu repertório de ópera, música de concerto e oratório estão “L’Italiana in Algeri”, “Il Barbiere di Siviglia”, “Stabat Mater”, “ Petite Messe Solennelle”, “ Cenerentola”,de Rossini; “Attila” , “Nabucco”, “La Traviata”, “Il Trovatore”,”Otello”, “Aida”, “Rigoletto”, de Verdi; “Don Pasquale”, “L’Elisir d’Amore”, de Donizetti; “Condor”, “Lo Schiavo”, “Colombo”, de Carlos Gomes; “A Flauta Mágica”, “Don Giovanni”,”Requiem”, de Mozart; “Requiem”, “Missa Pastoril”, “Tosca”, “Madame Butterfly”, “Gianni Schicchi”, “Turandot”, de Puccini, “Stabat Mater”, de Tommaso Traetta, entre outros.

Cantou nos 30 anos do Projeto Aquarius, sob a regência do maestro Isaac Karabtchevsky, no Forte Copacabana. Atuou sob a regência de Silvio Barbato, David Machado, Isaac Karabtchevsky, Lygia Amadio, Alessandro Sangiorgi,Ciro Braga,Modesto Flavio, Roberto Duarte, André Cardoso, Ricardo Rocha, Ilem Vargas, Carlos Rato, Osvaldo Ferreira. Gravou em CD a ópera “O Guarani”, de Carlos Gomes e em DVD o “Ofício de Defuntos – 1816”, do Padre José Mauricio. Professor de técnica vocal e canto da Academia de Música Lorenzo Fernândez;

Membro efetivo e vice-presidente da Sociedade de Música Coral e Instrumental do Rio Janeiro – SOMUSICA. Presidente da Associação do Corpo Coral do Theatro Municipal do Rio de Janeiro – ACCOTEMURJ ; Presidente do Sintac, sindicato que congrega os funcionários do TMRJ e da cultura do Estado do Rio. Diretor Operacional da Orquestra Filarmônica do Rio de Janeiro; Presidente da Associação de Canto Coral (RJ).




Carlos Alberto Figueiredo

Maestro, Professor de Regência Coral e Análise Musical

Carlos Alberto Figueiredo atua na Graduação da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) ministrando disciplinas na área coral (Canto Coral, Regência Coral), Análise Musical e História da Música. Atua também no Programa de Pós-Graduação em Música (PPGM) dessa mesma instituição, orientando pesquisas na área de Musicologia Histórica. É Doutor em Música pela UNIRIO, com a Tese Editar José Maurício Nunes Garcia, agraciada com o Prêmio José Maria Neves da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Música (ANPPOM), em 2005. Sua pesquisa é voltada para as questões gráficas em música, com destaque para as edições de música e a notação musical.
Participou de vários projetos editorias brasileiros de relevo, com destaque para Acervo e Difusão de Partituras, onde atuou como coordenador editorial. Esse projeto editou, durante três anos, 51 obras brasileiras dos séculos XVIII e XIX, a partir de manuscritos existentes no Museu da Música de Mariana, Minas Gerais. Atuou também no projeto Patrimônio Arquivístico-Musical Mineiro, que disponibilizou 17 obras de autores mineiros dos séculos XVIII e XIX. É autor do Catálogo de Publicações de Música Sacra e Religiosa Brasileira – obras dos séculos XVIII e XIX. Estudou Regência Coral com Frans Moonen, no Conservatório Real de Haia, Holanda. Fez cursos complementares com Jan Elkema e Rainer Wakelkamp na Fundação Kurt Thomas da Holanda. Estudou com Helmuth Rilling na II Bachakademie de Stuttgart e repertório barroco com Philippe Caillard, em Paris. É regente do Coro de Câmera Pro-Arte, conjunto com o qual vem divulgando a obra de José Maurício Nunes Garcia (1767-1830) em concertos e CDs.



Rafael Caldas 
Regente dos Coros de Câmara e Intercantus
Preparador do Coro Sinfônico



Mestre em Musicologia - UNIRIO e Bacharel em Música - Regência - UFRJ. Atua em projetos sociais voltados para coro adulto, juvenil e infantil em ONGS e empresas sempre buscando a musicalização, inclusão social, qualidade de vida e lazer pelo Canto Coral. Participou de Máster-Classes internacionais de regência coral com Martin Schmidt (Festival Brasil-Alemanha), Saul Szaks (Suécia) e Eric Westberg (Suécia). Possui vários cursos de extensão ligados a educação musical e é premiado como Agente Jovem da Cultura - Ministério da Cultura pelo seu trabalho em ONG’s com coros juvenis. É professor de Canto Coral do Conservatório Brasileiro de Música. Como membro da Associação de Canto Coral, na função de arquivista, participou da organização e produção de eventos voltados para educação e canto coral e é regente do Coro de Câmara e do Coro Oficina.


Claudio Ávila
Regente do Coro de Câmara Lírico Feminino e preparador do Núcleo de Ópera

Formado pela Pró-Arte, em Regência Coral e Análise Musical, e com Mestrando em Música pela UNI-RIO. Estudou piano nos Conservatórios de Barra do Pirai, de Volta Redonda, e do Rio de Janeiro. Desde 1987 prepara técnica e musicalmente coros e solistas em óperas e em música de câmara. Preparou e regeu diversos Coros, dos quais podemos citar: o Coro do Teatro de Ópera do Rio de Janeiro e Maestro e Preparador Vocal do Coral Ars Plena, fundado pelo Maestro Armando Prazeres, a quem substituiu. Desde 2014 é o Maestro do Coral Feminino da Associação de Canto Coral. Como pianista-acompanhador ganhou o prêmio de melhor Correpetidor, no II Concurso de Canto Honorina Barra, em Curitiba. Apresentou-se em diversas salas de concerto e acompanha grandes cantores brasileiros. Trabalhou com os mais renomados professores de canto do Rio de Janeiro e de outros países como dos EUA, Alemanha e Holanda. Desde 2005, realiza concertos com a Cia. Canto Brasil, onde é o Fundador e Diretor Musical. A Cia. conta com cantores experientes e também com aqueles que estão ingressando na carreira lírica.  Desenvolve ainda com adolescentes da Comunidade da Rocinha trabalho de técnica vocal e preparo musical. Em 2014 atuou, como Maestro Interno, Pianista e Organista, na Ópera Suor Angélica, na série Ópera do Meio Dia, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. E ainda em setembro de 2014, foi um dos Pianistas na realização da obra de Carl Off – Catulli Carmina – para quatro pianos, conjunto de percussão, solistas, coro e ballet. Trabalhou na Casa da Arte e Cultura Julieta de Serpa, onde fez a direção musical e foi também o pianista do espetáculo “Uma Tarde na Ópera”. Foi também o pianista do espetáculo “Natal: tempo de sonhar” e participou do espetáculo “Cine Atlântica: uma chanchada musical”.





Miguel Torres
Regente do Coro Prelúdio, preparador do Coro Sinfônico e professor de Leitura Musical


É formado em Regência pela Escola de Música/UFRJ, tendo sido orientado pelo Maestro e compositor Ernani Aguiar. Iniciou seus estudos musicais pelo piano. Estudou também com os Maestros Alceo Bocchino e Carlos Alberto Figueiredo (Regência Coral) e estendeu seus estudos ao Canto lírico, tendo estudado com Victor Prochet e Gina Martins, do coro do Theatro Municipal.
Atualmente é regente dos corais SESC/Tijuca e Vida-UCAM/Universidade da Mulher e dos Corais Prelúdio e Novo Oficina na ACC. No Centro Universitário Augusto Motta (UNISUAM), foi regente titular do coral UNISUAM e do coral UNATI/UNISUAM e em 2009 fundou a Orquestra de Câmara da UNISUAM. No projeto “Aprendiz-música nas escolas/Niterói/RJ” é professor de Canto Coral.
Dirigiu concertos com a Orquestra Sinfônica da UFRJ (OSUFRJ) e Orquestra Musicâmara (Volta Redonda).




Vera Prodan
Soprano, professora de Canto e Técnica Vocal

Professora aposentada da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), graduada e pós-graduada em letras e música pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Em sua carreira acadêmica lecionou na faculdade de letras e também na Escola de Música da UFRJ, nas disciplinas dicção e canto. Em 1998 criou na Escola de Música da UFRJ o Conjunto de Câmara Sacra Vox. Com este e outros grupos de câmara atuou no circuito cultural da cidade do Rio de Janeiro e em diversas cidades do Brasil. É professora de canto na Associação de Canto Coral, em cujos coros já foi preparadora vocal e solista, e onde exerceu, de março de 2010 a fevereiro de 2013, o cargo de vice-presidente. 





 Júlia Anjos
Mezzo-soprano, professora de Canto e Técnica Vocal

Cantora e professora de música graduada pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, estudou com as professoras de canto Maristane Resende, Veruschka Mainhard e Eliane Sampaio. Atualmente, segue seus estudos vocais com o professor Cláudio Ávila. Participou do coro Brasil Ensemble, sob a regência de Maria José Chevitarese, e do conjunto vocal Sacra Vox, sob a regência de Valéria Matos. Desde 2009, atua como mezzo-soprano no Coro Sinfônico do Rio de Janeiro e Calíope, ambos dirigidos pelo maestro Júlio Moretzshon, com quem gravou o CD Vozes do Brasil, com obras corais de Villa-Lobos. Ainda no Coro Sinfônico, realizou trabalhos juntos à Orquestra Petrobrás Sinfônica e Orquestra Sinfônica Brasileira, tendo sido regida por Isaac Karabtchevsky, Roberto Minczuk e Lorin Maazel. Exerceu trabalhos de técnica vocal em coros de Igrejas do Rio de Janeiro e atuou como solista na montagem da ópera "Don Quixote nas Bodas de Comacho", de G. Telleman, na Escola de Música da UFRJ, Teatro Trianon, em Campos, Teatro Municipal de Niterói e Teatro Dom Pedro, em Petrópolis.



Lara Cavalcanti
Mezzo-Soprano, Professora de Canto, Técnica Vocal e Leitura Musical


Lara Cavalcanti formou-se pela escola de música da UFRJ com diploma de dignidade
acadêmica Magna cum laude, fez parte da Academia de ópera Bidu Sayão do Theatro
Municipal do Rio de Janeiro e é pós-graduada em canto lírico pelo Instituto Superior de
Educação Ateneu – Coletivo das Artes. Estudou com renomados cantores e coachs do Brasil e
do exterior e atualmente cursa mestrado profissional na área de práticas interpretativas na
escola de música da UFRJ. Possui em seu currículo nome de importantes maestros e diretores
cênicos do cenário musical brasileiro. Obteve pontuação máxima em sua monografia
intitulada "O processo de ensino-aprendizagem do canto por meio de metáforas". Atuou como
professora de canto no curso livre e técnico da Escola de música da Universidade Católica de Petrópolis e trabalha no mercado musical a mais de 10 anos. Suas aulas são dinâmicas e personalizadas conforme o objetivo do aluno e também prepara para
o Teste de Habilidade Específica (THE) das principais universidades. Seus cursos livres são destinados de iniciantes a profissionais da voz.
Atualmente é integrante do Coro do Teatro Municipal do Rio de Janeiro como solista e corista e do espetáculo “A modinha que não sai de moda”. Mais informações no site oficial e na fanpage do facebook.
Dentre suas atuações como solista em óperas e concertos destacam-se, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro: La Tragedie de Carmen (Carmen), Hansel und Gretel (Hansel), Faust (Siebel), Cavalleria Rusticana (Lola), Bodas de Fígaro (Marcellina), Il tabarro (Frugola), A menina das nuvens (Mãe), Dido and Aeneas (Dido), Serse (Arsamene), Les nuits d’été (Berlioz) Petite Messe Solennelle (Rossini), Te Deum (Bruckner), Nona Sinfonia (Beethoven).
Em outros teatros: Cosi fan tutte (Dorabella – Sala Leopoldo Miguez/Teatro D. Pedro/TMNIT), Dido and Aeneas (Dido - SCAR - SC), Suor Angelica (Tia Principessa – SCAR - SC),
O Mambembe encantado (Ana Beleza - Leopoldo Miguez), Das lied Von der Erde (Sala Cecília Meirelles), Il pianto di Maria (Ferrandini - Orsem), Missa em Mib (Padre José Maurício Nunes Garcia – Orquestra Sinfônica Brasileira), Fantasia coral (Beethoven).
Obteve as seguintes premiações: Moção congratulatória por contribuição cultural para a cidade de Petrópolis 2005, Concurso internacional de canto Maria Callas 2015, Concurso de Música de Câmara Francisco Mignone 2016, Troféu de reconhecimento na categoria advento cultural não governamental no Congresso da sociedade de cultura latina seção Brasil ano -2016 e 2017.
E-mail: laracavalcantiprofessora@gmail.com
Site: http://www.laracavalcanti.com/
Fanpage:  https://www.facebook.com/laracavalcantimezzosoprano/
Canal Youtube: https://www.youtube.com/channel/UCDUKZoGF_iwM-SEGCNAJyaA/featured





Clayber Guimarães
Tenor, Professor de Canto e Técnica Vocal

     Iniciou seus estudos de canto com a maestrina Lydia Podorowsky. Cursou bacharelado em canto na Escola de Música da UFRJ, onde estudou com o soprano Judith Imbassahy, e onde participou das montagens de "O Elixir do Amor" e "D. Pasquale" de Donizetti. Ainda no Rio de Janeiro, estudou ainda com Glória Queiroz. Em São Paulo foi aluno de Benito Maresca. Cantou por 15 anos no Coro da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP).      
     Atualmente, canta no Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro (TMRJ). Integra o Núcleo de Ópera da Associação de Canto Coral, além do grupo de câmara Carpe Véspera, em Niterói. 





Luiz Carlos Peçanha
Regente do Madrigal, professor de Leitura Musical, THE e Método Gazzi de Sá

Luiz Carlos Franco Peçanha iniciou-se na música como cantor no Coral Juvenil do Centro Educacional de Niterói (CEN), sob direção do professor e maestro Ermano Soares de Sá. Com o Coral do CEN, realizou inúmeros concertos, onde se destacam: I Encuentro com el Canto de Niños e Jóvenes (1996) na província de Córdoba, Argentina, o 1º lugar no I Concurso Nacional Funarte de Canto Coral (1997), entre muitos outros. É formado em Licenciatura em Educação Artística, com habilitação em Música, pela Universidade do Rio de Janeiro (Uni-Rio), onde também frequentou o mestrado em Musicologia. Participou como professor de música e regente coral do projeto "Niterói: Orquestra e Coro nas Escolas", atual "Projeto Aprendiz" de 2002 a 2004. Foi integrante do Grupo LAETARE (atual Coral Ex-cêntrico) de 1997 até 2006. Com o Grupo LAETARE, apresentou-se no I Fórum RioAcappella de Música Vocal em 2001, no Teatro Pró-Música de Juiz de Fora (MG) em 2001, do XI Encontro Internacional de Coros em Cabo Frio (RJ) em 2002, Teatro Municipal de Niterói, Solar do Jambeiro, Teatro da UFF, Igreja São Judas Tadeu, entre outros. É professor de Educação Musical do CEN desde 2002. Trabalhou, como professor fundador de Teoria e Percepção Musical, no Centro de Estudo e Iniciação Musical da Universidade Federal Fluminense (CEIM-UFF) desde 2002 a 2010. No segundo semestre de 2003 foi convidado para organizar e reger o Coral da Escola Aldeia Curumim onde permaneceu até dezembro de 2005. Trabalhou como professor substituto de Percepção Musical na Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) no período de 2005 a 2006. Em 2009, concluiu o mestrado em Musicologia na UFRJ apresentando a dissertação "O Catálogo Temático da obra para coro a cappella de Gazzi de Sá". É o regente dos Corais Infantil e Juvenil do CEN e do Coral Ex-Cêntrico – Coral de ex-alunos do CEN. Desde 2009, é o coordenador da área de Educação Musical do CEN.




Helen Heinzle
Soprano, Professora de Canto e Técnica Vocal

         Helen Heinzle, natural de Blumenau, Santa Catarina, é integrante do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Iniciou seus estudos musicais ao piano ainda criança e aperfeiçoou-se em Viena - Áustria e Hamburg – Alemanha.
        Graduou-se em Canto pela Universidade do Rio de Janeiro (UNI-Rio), onde foi professora de Canto e Fisiologia da Voz. Também foi professora de Técnica Vocal no Conservatório Brasileiro de Música. É integrante do Coro Sinfônico do Rio de Janeiro e do grupo vocal Calíope, com o qual realizou diversas turnês pelo Brasil, Europa e América do Sul. Gravou também diversos CDs como solista com o grupo.
     Atuou na ópera “o Empresário” de W. A. Mozart como Mlle Silberklang e na ópera Bodas de Fígaro como “Condessa” no Theatro Municipal do Rio. Participou da ópera “O Pescador e sua Alma” do compositor carioca Marcos Lucas, no CCBB do Rio e Brasília. Foi solista nas “Vesperae Solennes de Confessore”, de Mozart; “Der Tod Jesu”, de Graun, e em obras de Bach, Vivaldi, Haydn, Brahms, Neukomm, entre outros. Foi solista com a Orquestra Petrobrás Sinfônica, e com a Orquestra do Theatro Municipal nas comemorações dos 80 anos do Coro do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.







Francisco Neves
Professor de Declamação Lírica e Palestras sobre Óperas

Cantor do Corpo Coral do Theatro Municipal do Rio de Janeiro há 26 anos, na clave dos barítonos, Francisco Neves também é pesquisador do Antigo Egito desde os seus 09 anos. Nos últimos 50 anos, ministrou inúmeras palestras, seminários, cursos e simpósios sobre Egiptologia e Óperas em diversas cidades brasileiras. Nas 12 viagens que empreendeu ao Egito, Estados Unidos e Europa, pesquisou em diversos sítios arqueológicos e universidades, conduziu grupos de turistas e pesquisadores, além de travar contatos sólidos com o Supremo Conselho de Antiguidades Egípcias no Cairo.
Formado diretor de cena e cenógrafo pela Academia Brasileira de Belas Artes (1975), Neves também é artista plástico com diversas exposições das suas miniaturas e quadros sobre o Egito Antigo, além de ser cantor lírico, tendo a seu crédito cerca de trinta e sete personagens de diversas óperas.



Bruno Marques
Regente do Coro Oficina e professor de Leitura Musical

Bruno Marques é formado em Licenciatura em Música e pós-graduado em Regência Coral pelo Conservatório Brasileiro de Música. Além disso, é também formado em Direito pela Universidade Estácio de Sá, e Pós-Graduado em Direito Civil e Processual Civil pela Universidade Veiga de Almeida.

Iniciou seus estudos musicais pelo piano e órgão, e estendeu ao canto. Estudou piano com Lúcia Di Calafiori, participando de Master Classes de órgão de tubos com os organistas Domitila Ballesteros e Sven-Ingvart Mikkelsen. Possui vários cursos de extensão ligados a educação musical e regência coral. Tem atuado como regente, pianista e organista em igrejas e projetos sociais sempre buscando a musicalização através do canto coral. Trabalhou como professor de educação musical, canto, piano, órgão e percepção musical em diversas escolas entre elas a Academia Carioca de Música. Em 2019 ingressou para o quadro de professores e regentes da Associação de Canto Coral.





Danielle Bragazzi
Soprano, professora de Canto e técnica vocal

Iniciou seus estudos de canto lírico com o Baixo-Barítono João Carlos Dittert, na Escola de Música Villa-Lobos. Em seguida, ingressou no curso de bacharelado em canto da Escola de Música da UFRJ, onde frequentou as classes dos sopranos Therezinha Schiavo e Cilene Fadigas, e do barítono Homero Velho. Aperfeiçoou sua técnica com o coach e professor da Universidade de Karlsruhe, Amaru Soren, na Alemanha.
Foi membro do Coro Sinfônico da UFRJ e do Coro Sinfônico do Rio de Janeiro. Estreou como solista de ópera na montagem de O Empresário (Mozart), como Madame Hertz, pela Cia. Experimental de Ópera. Em 2007, integrou o elenco de gala de estreia da Cia. Lírica, no Auditório Guiomar Novaes. Em 2009, representou a heroína romântica Mimi, na Ópera La Bohème (Puccini), pela Cia. Lírica. Na sequencia, viveu a cortesã Violleta Valeria, na Ópera La Traviata, de Verdi e, encerrando a temporada, interpretou um dos mais complexos papéis de soprano: a gueixa Cio Cio San, em Madama Butterfly, de G. Puccini, tendo seu trabalho reconhecido pelo público e pela crítica. Abrindo a temporada lírica de 2011, desempenhou o papel da guerreira Odabella, na ópera Attila, de Verdi, reapresentou Madama Butterfly  no CCJF e no Teatro Municipal de Niterói, e encerrou o ano interpretando a ingênua Marguerite, em Faust, de Gounod. Em 2012, além de reapresentar Marguerite em Faust, atuou como Giorgetta em Il Tabarro, de Puccini. Já em 2015 e 2016, fundou o Núcleo de Ópera da ONG Orquestrando a Vida, e atuou na Ópera O Elixir do Amor, de Donizetti, no papel de Adina.
Em 2017, interpretou o papel de Leonora, em concerto cênico pelo Núcleo de Ópera da Associação de Canto Coral do Rio de Janeiro.
Foi pesquisadora musical pela UFRJ e professora de canto nas escolas Bonarte e Mais que Música. Possui formação em Teatro e Dança.








João Paulo Machado
Professor de Expressão Corporal 
Iniciou a carreira artística em 93, sendo o único homem selecionado para o curso de modelo e manequim Xuxa Meneghel. Ministrou cursos que levaram duas de suas alunas a receberem o título de miss beleza dos salões do Estado do RJ. Formado em danças clássicas pelo Theatro Municipal do Rio de Janeiro (de1995 a 2003). No primeiro semestre de aulas, já participava de seus primeiros trabalhos
profissionais (“O Guarani” e abertura da novela “Salsa e Merengue”, por Fabio de Melo). Deu inicio a inúmeros trabalhos em programas de TV, como Criança Esperança, Planeta Xuxa, Turma do Didi, Zorra Total, novelas, clipes, musicais, shows e especiais.

Além disso, participou de vários espetáculos no Theatro Municipal como bailarino e ator; em óperas, balés nacionais, estrangeiros e espetáculos teatrais, dentre eles nas duas versões de “Pedro e o Lobo”, de Cacá Morthé. Foi dirigido por renomados artistas nacionais e internacionais, como Bibi Ferreira, Dalal Achcar, Dennis Gray e Nathalia Makarova. Atuou também em duas versões distintas da Ópera Turandot (Theatro Municipal, por Pier Francesco Maestrini, e Palácio das Artes, como ator-solista, por Fernando Bicudo). Em 2004, foi solista em “O auto da liberdade”, em Mossoró-RN (espetáculo ao ar livre, com mais duas mil pessoas no elenco), e Terra Brasilis, que fez turnê em RJ, SP, DF e Itália (2003 - 2005), ambos por Fernando Bicudo. Seu primeiro trabalho foi como faxineiro, no barracão do Salgueiro, e hoje é coreógrafo de comissões de frente. Decorou carros alegóricos, e também dançou em comissões de frente das escolas de samba Grande Rio (1993 a 2009), União da Ilha, Salgueiro, Portela; como coreógrafo de destaque na União da Ilha, com Milton Cunha, comissão de frente no desfile de Cabo Frio, e Porto da Pedra, no Grupo Especial. É o criador e foi coordenador
geral do projeto beneficente de cursos das artes cênicas na Fundição Progresso, com mais de duzentas bolsas, onde escreveu e dirigiu peças teatrais, shows, musicais e circo. Em parceria com Fernando Bicudo, onde apoiava e incentivava diversos grupos de teatro, dança e artistas, com salas para ensaios e apresentações. O projeto foi elogiado e indicado pelo juiz da 2ª Vara da Infância e Juventude e sua equipe em carta assinada. Levou mais de 40 alunos para ser coreografado por Beth Oliosi na abertura do Criança Esperança de 2007 e, em 2008, ajudou Beth Oliosi em toda produção de dança do Criança Esperança, levando o projeto Ópera Brasil como parceiro da Rede Globojunto com a CUFA e Nós do Morro. Em menos de um ano de projeto, seus alunos já participam dos principais trabalhos nacionais e internacionais; em navios, circo, comerciais, óperas, balés e shows, onde produtores utilizavam o próprio espaço para testes. Há 20 anos vem desenvolvendo esse trabalho social de bolsas Reciclando com Arte, hoje em parceria com a Casa de Danças Carlinhos Jesus.